Inglês em Bournemouth

Por Brenda Ramos

Poderia começar falando sobre a importância de dominar o inglês para se destacar no mercado de trabalho e blá, blá, blá. Mas não acho que fazer um intercâmbio sirva só para isso. É claro que o domínio do idioma fica muito mais fácil quando aprendido em um país onde esta língua é a materna. Porém, o que mais me impressionou ao estudar inglês em Bournemouth durante 4 semanas, foi o amadurecimento pessoal e emocional que adquiri. Viajar nos proporciona um tipo de aprendizado que é impossível se ter em qualquer livro. Além do mais, fazer Intercâmbio na Inglaterra era a possibilidade que eu tinha de unir a obrigação de saber falar inglês com a diversão que todo e qualquer ser humano trabalhador merece em suas 4 semanas de férias.

Brenda
Brenda em Bournemouth

Cidade linda. Aconchegante como acordar na casa da vovó e ouvir o barulho do liquidificador batendo uma vitamina de banana. Louca, insana, com uma noite incrível que faz o espírito mais conservador querer voar ao ver o sol se pôr e as luzes dos clubs se acenderem. Esta é Bournemouth, uma cidadezinha que ninguém dá nada por ela, mas que pode lhe surpreender. Apesar dos lindos jardins, do ar praiano e das pessoas simpáticas, os reais motivos que me levaram a escolher esta cidade foram:

1) O custo de vida lá é mais em conta que em Londres;

2) A cultura inglesa é mais viva no interior, logo o aprendizado ia ser bem melhor.

Escolhi a Kaplan para o curso de inglês por indicação da minha agência e mesmo antes de viajar os funcionários da escola foram sempre muito solícitos, me dando assistência por e-mail e informando as mais diversas coisas – de agências de turismo na cidade até o preço do rango nos arredores da escola. A chegada, o teste de nivelamento, todo o cuidado e o carinho com os estudantes me deixaram ainda mais a vontade. Para completar, aulas dinâmicas e criativas, com jogos e muita interatividade.

O aprendizado vem que você nem sente. Na primeira semana já percebi uma imensa melhora no idioma. Como diz o ditado: a ocasião faz o ladrão! Na necessidade de me comunicar a qualquer custo, acabei lembrando de todo o repertório dos infinitos cursos de inglês que fiz no Brasil. Dinheiro desperdiçado, na verdade, pois a evolução das pessoas em um intercâmbio é mil vezes maior. Uma pena que não pude ficar mais 2 meses e sair da Kaplan com meu certificado de inglês avançado! Quem sabe na próxima?

Brenda
Brenda com as amigas

Quando disse acima que o melhor do intercâmbio é a experiência de vida, falava do que você aprende ao lidar com pessoas de tantas partes diferentes do mundo. Aprender hábitos dos outros faz a gente olhar para a nossa realidade de um outro ângulo. E isso faz a gente crescer e evoluir como ser humano, vendo um mundo com menos preconceitos. Foi o que aprendi de mais precioso neste período. Como se não bastasse, a Kaplan me deu de brinde grandes amigos! Minha turma era especial, e são poucas as oportunidades em que se teria a chance de fazer amigos tão bons e de tantos locais diferentes ao mesmo tempo.

Mas eu também estava de férias. Precisava me divertir, claro. Foi com estes novos amigos que saí para conhecer a noite de Bournemouth. Destaque para o V Club, uma danceteria que funciona dentro de uma igreja. Para os solteiros, como eu, uma ótima chance para paquerar! Passeios pelos parques e pela Bournemouth Square eram quase que diários, afinal, todo santo dia tinha artistas de rua dando espetáculos em shows musicais e teatrais.

Ainda aproveitei os finais de semana para conhecer outras cidades da Inglaterra, como Londres, Bath, Salisbury, Costa Jurássica e Stonehenge. Neste último, pude conhecer a famosa celebração do Solstício de Verão, onde o povo se reúne em torno das pedras para celebrar a noite mais curta do ano, relembrando os rituais pagãos de milênios atrás. Uma experiência única, vale muito a pena! É o único dia do ano em que o governo inglês deixa a população tocar nas pedras!

Fui também para Amsterdam (Holanda), Brugges (Bélgica) e Barcelona (Espanha). Tudo isso nos finais de semana, quando não tinha aula. Ou seja, deu para unir o estudo e a diversão numa boa. Voltei para o Brasil com o coração apertado, com a sensação de que o mês em Bournemouth era uma bolha de sabão prestes a estourar. Dentro dela, um mundo onde tudo era alegria. Voltei à realidade, mas sem nunca esquecer da cidadezinha fofa de tijolinhos vermelhos, que me proporcionou uma experiência maravilhosa e inesquecível.

Brenda Ramos é jornalista de Salvador e estudou 4 semanas na Kaplan de Bournemouth, Inglaterra. Para ajudar os intercambistas a sobreviverem e serem mais felizes nesta cidade, ela criou o blog “Brenda em B’mouth” – diário de bordo com dicas quentíssimas sobre o lugar. Acesse: http://brendaembournemouth.blogspot.com.br/

Compartilhe