Kaplan faz 80 anos: Saiba mais sobre nossa história

Este ano, nós celebramos os 80 anos de nascimento da Kaplan. Hoje em dia com centenas de escolas ao redor do mundo, ajudando milhões de estudantes a alcançar suas ambições, é difícil acreditar que tudo começou em um porão no Brooklyn.

 

“Eu comecei no dia que eu nasci - ou quase isso”

 

Kaplan, Inc foi fundada em 1938, mas de acordo com o próprio Stanley Kaplan, tudo começou muito antes disso. Ele herdou uma paixão pela educação dos seus pais, que eram imigrantes, principalmente da sua mãe, Ericka. Muito inteligente, ela não pôde fazer faculdade, por isso estava determinada que todos os seus filhos fossem para a universidade. Ericka encheu seus quartos de brinquedos com livros: enciclopédias, assim como histórias sobre inventores e aventuras e aos 7 anos, Stanleu começou uma pequena livraria para as crianças da vizinhança- com cartões para membros feitos a mão e taxas caso os livros fossem devolvidos com atraso. 

 

Quando ele fez 9 anos, ele começou a ensinar.

 

“Enquanto as outras crianças brincavam de médico, eu brincava de professor. Se meus amigos reclamavam sobre frações de matemática e porcentagens, eu sentava com um papel e uma caneta e os explicava como resolver os problemas" ele conta em sua autobiografia, Test Pilot. Enquanto algum dos colegas de classe de Stanley ficaram agradecidos pela ajuda, outros não estavam tão empolgados em terem aulas extras de outro aluno da quarta série. Stanley não se desencorajou; ele amava ensinar tanto que ele até pagava seus "estudantes" 1 centavo para eles sentarem e os escutarem.

 

Stanley Kaplan teaching students
Stanley Kaplan transformou a vida de de várias pessoas  através da educação 

 

O sinal do que estava chegando

 

A Grande Depressão fez com que a vida confortável da família Kaplan chegasse ao fim. A companhia de encanação da família acabou e o pai de Stanley nunca se recuperou totalmente da ansiedade e humilhação. Mas o dom de Stanley como professor - e agora, com seus anos de experiência- comecaçam a ser notados. Apesar de trabalhar em outros empregos para ajudar a família, ele iria pular duas sérias na escola. Ele ainda estava sendo tutor dos seus amigos e era um ajudante não oficial do professor na sua aula de matemática. O conselheiro de empregos da escola veio oferecê-lo um emprego que iria mudar sua vida: ajudar a estudantes que estavam a ponto de  serem reprovados, por 25 centavos a hora. Stanley ficou entusiasmado. Ele tinha apenas 14 anos.  

 

“Não havia nada melhor do que ver o rosto de um estudante no momento que ele finalmente entendia. Testemunhar isso era como fazer um gol"  – Stanley Kaplan

 

E apesar disso, ensinar não era a carreira que Stanley estava planejando. Ele iria estudar medicina. Enquanto muitos filhos de imigrantes eram pressionados a seguirem uma carreira na medicina por conta dos seus pais, no caso de Stanley a pressão vinha dele mesmo - os seus pais preferiam que eles perseguisse sua paixão pelo ensino. Mas Stanley queria reestabelecere as finanças da família e ganhar de volta o status que eles perderam com a Depressão. Medicina parecia como o caminho mais certo a seguir.

 

Mas para o espanto de Stanley, ele foi recusado em todas as escolas de medicina as quais se inscreveu. Ele não conseguia entender - ele sabia que tinha a inteligência e após ter pulado várias sérias na escola ele havia se graduado na City College com apenas 18 anos. Finalmente, ele veio a uma triste conclusão: Ele era  judeu e havia estudado em escolas públicas. Talvez se ele tivesse estudado em uma escola particular, seu passado não teria importado tanto. Mas a combinação de esnobismo e anti-seminitismo foi demais para ele. Stanley nunca esqueceu a rejeição. Mas, em 1938, agora com 19 anos, ele se comprometeu a ensinar, no mesmo porão que quando criança ele começou sua livraria. Ele colocou uma placa fora da casa dos seus pais: "Centro educacional Stanley H Kaplan.”

 

“Dizer que você não pode melhorar notas é o mesmo que dizer que você não pode melhorar estudantes e eu não concordo com isso"

 

Em 1946, uma estudande chamada Elizabeth pediu ajuda a Stanley com um novo teste designado para admissões nas faculdade: O SAT (algo parecido com o sistema de vestibular do Brasil). Stanley ficou intrigado. 8 anos atrás, ele não conseguiu convencer as faculdades de Medicina de suas habilidades - as notas altas na sua escola com status baixo não foram suficientes. Talvez uma nota alta em uma prova como esta poderia tê-lo ajudado a superar as barreiras que o preconceito havia criado. Mas ele estava confuso com o teste, também. Os instrutores aconselhavam os estudantes que não havia sentido em estudar - o SAT iria medir a inteligência inata deles e não o seu conhecimento. Mas a ideia de não estudar para um teste não fazia nenhum sentido para Stanley e ele não acreditava que habilidades acadêmicas não podiam ser mudadas: ele sabia que era possível melhorar habilidades de pensamento e resolução de problemas. Ele fez Elizabeth praticar problemas matemáticos e exercícios de compreensão sem parar - ajundando-a não apenas a fortalecer sua habilidade analítica mas também melhorando sua confiança. Quando eles terminaram, Elizabeth passou no seu exame do SAT com facilidade. Logo a notícia se espalhou que Stanley Kaplan podia ajudar a entrar na faculdade e estudantes ansiosos para alcançarem suas ambições inundaram a pequena companhia de ensino no porão de uma casa. Claro que Stanley estava feliz em ter tantos alunos - mas seu sucesso significava mais que isso. Do jeito que ele estava vendo, ele estava ajudando os alunos que nunca poderiam ter uma chance de estudar em uma escola privada, uma chance de competir.  

 

Portrait of Stanley Kaplan
Stanley Kaplan 

 

 

“As pessoas estavam vindo de todos os lugares do País para estudar no Brooklyn”

 

Em alguns anos, o porão estava lotado de alunos e livros. Stanley abriu sua primeira escola em 1951 e uma segunda em 1957. Em 1960,  Kaplan Inc tinha dezessete centros, ajudando alunos não só com o SAT mas com várias qualificação, como o GMAT, MCAT e GRE. Criar uma grande familiaridade com o material era uma parte fundamental do método de ensino de Stanley, então todas as escolas tinha uma biblioteca de "testes e fitas", onde estudades podiam estudar horas extras, reforçando o que eles haviam estudado em sala de aula. Várias décadas depois, as escolas Kaplan ainda seguem a abordagem de Stanley, com centros multimídias e laboratórios de computadores equipados com materias criados para ajudar os estudantes a praticarem.   

“Não se preocupe. Se você não entendeu hoje, você pode escutar a fita amanhã" - Stanley Kaplan 

Kaplan started in a Brooklyn basement
O negócio internacional de Stanley Kaplan começou no porão da casa dos seus pais

 


Saiba mais: Cursos de inglês oferecidos pela Kaplan 


O rei da preparação para exames

 

Nem todo mundo estava feliz com o sucesso de Stanley. Ignorando o enorme número de estudantes da Kaplan que viram suas notas melhorarem, o College Board e o Educational Testing Service ainda insistiam que era impossível estudar para o teste e tratavam Stanley como um enganador. Mas em 1979, o Federal Trade Commission pediu desculpas após investigar e confirmar que o método Kaplan podia, de verdade, aumentar as notas do SAT. A companhia cresceu ao redor dos EUA e mais além e em 1983, o College Board convidou Stanley para fazer um discurso na sua convenção anual. Após mais de 46 anos se sentindo como um forasteiro, Stanley foi aceito pelo sistema educacional. Foi muito emocionante. "Nunca, nem nos meus sonhos mais loucos" ele admitiu "eu imaginei que eu estaria falando aqui hoje". 

 

Mesmo após Stanley vender a  Kaplan, Inc. para a companhia Washington Post em 1984, ele continuou trabalhando e ensinando na companhia a qual ele deu o nome. Ele se aposentou em 1994 aos 75 anos, após dedicar 56 anos a educação. De fato, assim como a história da paixão de Stanley por ensinar começou muito antes dele fundar a Kaplan, esta continuou mesmo após ele ter saído. Com sua esposa, Rita, ele criou a fundação Rita J. e Stanley H. Kaplan, dedicada à saúde, artes e claro, à educação.

 

Stanley morreu em 2009, com 90 anos de idade, deixando para trás um legado extraordinário - milhões de pessoa ao redor do mundo, cujo os sonhos de terem uma vida melhor, se tornaram realidade graças a sua ajuda. Hoje, a Kaplan tem orgulho em continuar o seu trabalho, dando acesso a educação e transformando vidas.

 

"Eu dediquei minha vida a ajudar os estudantes de formas que a educação tradicional não conseguia e a Kaplan continua essa tradição hoje."  - Stanley Kaplan 

Você quer experimentar o método de ensino da Kaplan? Estude em umas de nossas 38 escolas ao redor do mundo.

Mais
Kaplan
Compartilhe
Artigos Relacionados